As 8 coisas que você NÃO DEVE fazer em uma entrevista de Emprego no Japão!

As 8 coisas que você NÃO DEVE fazer em uma entrevista de Emprego no Japão!

0 Comments

As 8 coisas que você NÃO DEVE fazer em uma entrevista de Emprego no Japão!

Uma das maiores dificuldades que eu vejo das pessoas para conseguir um novo Emprego no Japão é na hora da entrevista, pois a maioria, não tem o domínio do idioma japonês e mesmo os que dominam, não sabem alguns dos procedimentos básicos de uma entrevista no Japão. Mas aqui, você vai ver as melhores dicas para não fazer feio na hora da entrevista mesmo sem saber muito do idioma japonês e aumentar suas chances de conquistar sua Vaga de Emprego no Japão!
1- Ao entrar em contato
Tenha muito cuidado no primeiro contato, aqui você já está sendo avaliado. Não fale gírias. Primeiro diga o seu nome e o objetivo da ligação com vocabulário formal. Caso a pessoa que lhe atendeu esteja falando em japonês, tente se comunicar o máximo que puder em japonês e caso não esteja entendendo pergunte se tem alguma pessoa que fale o seu idioma.
 
2- Roupa adequada
Com o verão, candidatos chegam no dia da entrevista com os trajes totalmente errados. Chinelo, óculos escuros, camiseta regata, bermuda, boné ou minissaia vão somando pontos negativos durante a seleção. Para as mulheres, alguns detalhes fazem enorme diferença: comparecer com blusas decotadas, maquiagem pesada, brincos grandes, perfumes fortes e muitas bijuterias. Assim como no Brasil, o melhor é vestir calça, camisa e sapato sociais. Camiseta, calça jeans e tênis também acabam sendo aceitos pelos recrutadores.
 
3- Documentação
Normalmente, é preciso preencher uma ficha na empreiteira. Leve sempre os documentos, como Passaporte (com o visto Japonês), registro de estrangeiro (Gaikokujin Toroku ou Zairyo Card) e carteira de motorista do Japão (se tiver). Não esqueça de ter sempre em mente o endereço completo e telefone para contato, além de informações sobre os serviços anteriores, como um currículo já escrito. Deslizes do tipo “não sei meu endereço” prejudicam já no primeiro contato.
 
4- Currículo
Na empreiteira, o candidato precisa preencher um currículo, informando o nome, data de nascimento, endereço, históricos escolar e profissional, licenças ou qualificações como carteira de empilhadeira, tempo de estadia no Japão e tipo de visto. Por falta de informação ou por nervosismo, algumas pessoas não sabem escrever corretamente o documento. Por meio da letra, os entrevistadores também avaliam o potencial do candidato, considerando grave os erros ortográficos
 
5- Postura
Enquanto espera pela entrevista, não sente de maneira relaxada e, preferencialmente, não cruze as pernas. Se estiver em pé, não apóie os pés nas paredes. Para os namorados que forem concorrer para a mesma vaga, recomenda-se não ficar demonstrando carinho como beijo ou abraço. “Esse é um ambiente profissional e não uma loja onde o cliente sempre tem razão”.
 
6- Entrevista
Durante a conversa, espere o entrevistador explicar quais são as condições do trabalho antes de perguntar. Fale claramente, olhando para ele. Não reclame dos trabalhos anteriores e nem fique criticando as fases da entrevista.
 
7- Teste
Em alguns empregos é necessário demonstrar suas habilidades motoras, ter coordenação motora é fundamental para a maioria dos empregos no Japão. Por causa disso, são feitos testes chamados psicotécnicos, a fim de avaliar o raciocínio do candidato. Um exemplo de  avaliação consiste em encontrar letras determinadas pelo entrevistador espalhadas numa folha. Em outro teste, a pessoa precisa mostrar rapidez com as mãos, tendo que parafusar pinos em um tempo pré-determinado.
 
8- Japonês
A grande diferença entre a seleção feita no Brasil e no Japão é o domínio da língua japonesa. Quanto maior o domínio, melhores empregos e salários. Em momento de economia aquecida, os requisitos para contratação caem. Mas em alguns casos, há testes e entrevistas com diretores de fábricas que são feitos em japonês. Nessas horas, saber o idioma e demonstrar esforço no trabalho contam para a contratação. De qualquer forma, recomenda-se que o candidato saiba o mínimo da língua. Geralmente as perguntas se referem sobre onde trabalhou, se tem família, se já trabalhou na linha de montagem etc.
 
Qual dessas é a sua maior dificuldade? Caso tenha alguma dificuldade que não citei, não hesite em deixar um comentário!

Deixe um comentário

Certifique-se de preencher os campos indicados com (*). Não é permitido código HTML.